Feijão com Nutella
é tudo mentira!

Um exemplo de carência

Japonês liga 2.600 vezes para companhia telefônica e vira caso de polícia

 

A polícia deteve um homem acusado de obstruir o serviço de informação telefônica de uma companhia japonesa de telecomunicações após fazer cerca de 2.600 (deus do céu!!!! parece aquele cara que ficou mandando mensagens sem parar…) ligações para “se esquecer de sua solidão” (é… depois de 2,6 mil ligações sozinho é que ele não estava… ainda mais depois de preso) , informou nesta a agência local “Kyodo”.

Por que ninguém prendeu metade da população brasileira que passou 5827256 horas ligando sem parar para comprar ingressos da Madonna??


Takahiro Fujinuma
kombi, um desempregado de 37 anos, bloqueou entre junho e novembro de 2007 (caraca! O negócio demorou, hein? 5 meses de ligação?) o número do serviço de informações da Nippon Telegraph and Telephone (NTT).


Segundo os investigadores, com suas ligações ele interferia nos trabalhos dos funcionários do diretório telefônico da NTT
(calma… mas o trabalho deles não é, justamente, atender a ligações telefônicas? Então como ligações telefônicas podem atrapalhá-los? Tem cada texto esquisito por aí).

 

Fujinuma se limitava a falar sem pedir nenhum número de telefone (tadinho!!! Mega carente!), e os operadores costumavam tratá-lo de maneira educada e pediam que ele “continuasse à espera na linha”, contou a polícia.


“Sou solteiro, fiz isso para me esquecer da minha solidão”, disse Fujinuma à polícia.


Segundo os investigadores, o detido, que vive em Tóquio, tinha o hábito de ligar para o serviço por ele ser gratuito
, já que estava desempregado. (Ou será que estava desempregado por que não tinha tempo – ocupado com as ligações – de procurar emprego?)


Fujinuma se limitava a pedir que conversassem com ele e que não o colocassem na espera
(hahahahahaha! Só ele quer que serviços telefônicos não o coloquem na espera, né? Eu também adoraria, mas isso é impossível! Quem comprou ingresso da Madonna e depois ligou para confirmar sabe disso)


O serviço de informação da NTT cobra apenas para informar números telefônicos, e não por conversar com seus clientes
(é, mas aparentemente quem conversa com eles é preso e isso não é legal).

Anúncios

Nenhuma resposta to “Um exemplo de carência”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: